Equipa

Equipa
Direcção/Edição

Maria Paula Dias

Gosta do Carnaval do Rio de Janeiro. Gosta de se afundar num mar de flores. Gosta de praia e de desporto. Não gosta de uvas nem de carne. Podia viver apenas de seitan e tofu. Quando era pequena pensava que viver era fácil mas chegou à conclusão (finalmente) que há muita confusão e ninguém se entende. É psicóloga clínica de profissão, apesar de gostar muito da ciência psicológica, arrependeu-se. Não voltava a tentar compreender os humanos. Astrofísica é a nova profissão de sonho. Gostava de ter uma padaria e viver em Paris. Era feliz se fosse proprietária da PAUL na versão Vegan. Uma padaria e uma nave – era feliz! Acha que podíamos viver até aos 200 anos, no mínimo, se nos tivéssemos orientado por vias psíquicas mais saudáveis. Ainda não compreendeu bem as razões da maldade. Só se sente bem na água, a nadar, a boiar, a saltar, a mergulhar, a sonhar.

Colaboradoras

Cláudia Oliveira

Revê-se, há já vários anos, nesta frase-pensamento de David Morão-Ferreira: “Nós temos cinco sentidos: são dois pares e meio de asas. – Como quereis o equilíbrio?”. É nesta procura de equilíbrio, saboreando o tão inevitável desequilíbrio, que se encontra. É uma jovem psicóloga clínica, apaixonada pela psicoterapia, pela descoberta do outro, e pelas ciências forenses. Se não fosse psicóloga, seria antropóloga, e senão fosse isso, estudaria literatura moderna. Traz uma paixão pelas histórias, pela evolução, pelo comportamento humano… Gosta de guardar lugares na memória e de lá voltar. Gosta de viajar, tanto de dentro para fora como de fora para dentro… Gosta de livros, de poesia, o seu escritor preferido é Herberto Helder. É uma pessoa de vícios: o mesmo café onde não costuma beber café, mas água com gás, de preferência de limão. É curiosa, irrequieta, não gosta de morar muito tempo no mesmo sítio, mas talvez um dia se deixe ficar pelo Porto. Adora filmes de comédia, ficar horas a fio a conversar com os seus amigos, observar as pessoas, comer gelado nos dias mais frios. Gosto de se perder pela cidade a ouvir musica, do frenesim das multidões quando é quase noite, do outono quando ainda raramente é frio e cheira a castanhas na Baixa…de Coimbra!

Mafalda Marques

Ama o sol, a praia, o mar e os magníficos concertos de verão. Não imagina um mundo sem música. Adora incursões gastronómicas (desde que não sejam bacalhau e favas!!). Gosta de viajar e colecionar aventuras. Cultiva a amizade como a planta mais preciosa da vida. Dizem que é chata e perfecionista………..calúnias! Diríamos que é persistente e gosta que as coisas corram como planeia. A sua família é o seu refúgio, o seu porto seguro. Ama incondicionalmente uma princesa linda que se passeia lá pela sua casa e dia não é dia sem ouvir a sua fantástica gargalhada! A sua pretensão ingénua de querer mudar o mundo e ajudar as pessoas a alcançarem melhores condições de vida, fez-lhe enveredar pelos meandros das ciências sociais e humanas. Acredita no empowerment do ser humano e dessa crença surge a sua nova paixão: mediação de conflitos. O lema da sua vida é: ‘A vida é curta! Quebrar regras, perdoar rapidamente, selecionar as minhas preocupações, beber e comer lentamente, amar verdadeiramente, rir incontrolavelmente e nunca me arrepender do que me faz sorrir…a vida não tem de ser perfeita para ser espetacular! Ser feliz é uma escolha’

 

 

Ana Rosa

Desde muito nova que se apercebeu que queria estar ligada à comida. Era ( e continua a ser!) muito esquisita com novos sabores mas adora experimentar o novo! Novas receitas, novos alimentos, novas confeções. Depois de começar a trabalhar soube que caminhava o trilho certo. Adora nutrição. Gosta de viajar e conhecer novas culturas (e novos sabores). Adora Livros. Diversos, como os temas. Coleciona-os às centenas. Milhentos! Sobre…….novos sabores!É mãe e adora sê-lo! Tanto que agora os seus mais recentes livros são sobre alimentação infantil (em novos sabores?)(risos) .